Joal Teitelbaum | Revista Best Home – Edição 47
16294
page-template-default,page,page-id-16294,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0.2,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-13.0,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.4,vc_responsive
 

Revista Best Home – Edição 47

Edição 47 –  Ano 11 – Novembro, Dezembro 2015 e Janeiro 2016

EDITORIAL DO MÊS

Na composição desta 47ª edição, muitos aspectos chamam a atenção. Vamos “pinçar” dois. Primeiro, a matéria sobre turismo, reportagem de capa, na qual se passeia pelo Havaí e se conhece um pouco de sua história e da de Duke Kahanamoku, que deu início após os Jogos Olímpicos de 1924, no lar mundialmente famoso do surfe e onde atletas brasileiros vêm sendo destaque global nos últimos anos.

A origem do povo havaiano vem da sua migração, do Pacífico Sul (Taiti) para as ilhas do Havaí, por volta do ano 1000 a.C., graças ao domínio de técnicas de navegação que lhes permitiram desbravar milhares de quilômetros de mar aberto.

Para os havaianos, tudo e todos são compostos de e sustentados pela energia vital, chamada MANA, que também é conhecida por qi (chi, na China), ki (Japão), prana (Índia) e sekhem (Egito).

Dessa mitologia vêm a ética e filosofia havaiana, que enxerga que há vida em tudo, pois tudo está vivo e tem consciência. Outra crença oriunda dessa filosofia é que não há separação entre nós e o universo à nossa volta.

E este é o ponto principal no qual fazemos a convergência entre “ser” e “parecer ser”: ética e integridade são conceitos antigos que permeiam basicamente todas as crenças e religiões. Apesar de terem significados abrangentes, o princípio é basicamente o mesmo: assim como não existe alguém parcialmente íntegro, não existem empresas, organizações, entidades ou governos parcialmente éticos.

Surfando pelas páginas da revista, chegamos às Notícias de Classe Mundial. Nesta edição estão alguns dos empreendimentos em andamento – e aqueles já programados para 2016 – do Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum.

Essas duas forças, a do turismo e a do empreendedorismo, nos fazem refletir que nada é por acaso ou acidental; tudo acontece no espaço e tempo em que tinham de acontecer. Se uma situação foi criada por você, reflita sobre o porquê desse evento e o que de construtivo ele traz a você e aos seus. Dependendo da forma pela qual você enxerga as coisas, o cenário rapidamente se modifica.

O mundo e a vida, com tudo o que existe no Universo, são componentes complexos. Todavia, utilizando-se o que os mestres da qualidade nos legaram e a nossa capacidade de PENSAR E [RE]PENSAR e simplificando os processos e agindo com integridade e ética, certamente teremos um 2016 mais tranquilo e empreendedor.

Joal Teitelbaum
Presidente do Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum