Joal Teitelbaum | Revista Best Home – Edição 52
16088
page-template-default,page,page-id-16088,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0.2,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-13.0,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.4,vc_responsive
 

Revista Best Home – Edição 52

Edição 52 – Ano 13 – Maio, Junho e Julho de 2017

EDITORIAL DO MÊS

A JOAL TEITELBAUM conta com quatro unidades de negócios alinhadas com os princípios da qualidade e embasadas na capacidade e na sensibilidade humana à frente de seus negócios, para que ocorra a construção de uma primeira decisão rápida, inteligente e assertiva.

 

Essas quatro unidades distintas se completam e constroem a história de 55 anos da empresa, por meio do desenvolvimento de grupos de condomínios para construção de obras com elementos sustentáveis e no Sistema de Preço de Custo e Grupo Fechado, gerenciamento de obras corporativas via SGI (Sistema de Gerenciamento Integrado), desenvolvimento e implantação de bairros planejados e consultoria em sistema de gestão.

 

A expertise em desenvolver obras em sistema de preço de custo e grupo fechado, com acompanhamento físico-financeiro em Assembleias Gerais, foi se aperfeiçoando ao longo dos anos e criou processos seguros, de excelência, flexíveis, para estarem alinhados com a cadeia de valor de cada negócio e focados na redução da variabilidade e do desperdício, desde a fase de projetos.

 

Um grande projeto inicia com a formação de uma equipe que compartilhe da mesma cultura e práticas e disposta a melhorar a performance de forma contínua. As ferramentas utilizadas nesse ciclo são diversas, não sendo excludentes. Ao contrário, devem ser combinadas e adaptadas à realidade de cada projeto. Dessa forma, não existe uma receita de bolo a ser utilizada em todos os empreendimentos, pois as diversidades são inerentes a cada especificidade, e somente com a intervenção técnica de todos os envolvidos, quais sejam, o dono da obra, a construtora, projetistas e a gerenciadora, será possível fazer uso das ferramentas adequadas que nos transportem por um caminho seguro, de qualidade, no prazo e de acordo com as metas orçamentárias até a entrega e utilização.

 

A partir desse cenário, a equipe tem condições de usufruir de todos os benefícios das novas tecnologias, como Building Information Modeling (BIM), uma ferramenta em plataforma digital que auxilia desde a concepção e conceituação do projeto, passando pelo desenvolvimento, construção e fase de ocupação, na medida em que consegue visualizar todas as interferências entre as diversas disciplinas de projeto, melhorando o entendimento e a qualidade, a assertividade do orçamento, e reduzindo modificações ao longo da construção.

 

É essencial, contudo, que, ao analisarmos o custo de um projeto, estejamos atentos tanto para o custo final de construção como para aquele planejado ao longo de sua vida útil. E isso está diretamente relacionado com a especificação técnica e com as tecnologias e soluções propostas, as quais, por sua vez, dependem da capacidade de inovação e conhecimento da equipe de projetos e da gerenciadora. Importante salientar, também, que o mundo atual determina que as novas tecnologias estejam alinhadas com os conceitos de sustentabilidade e que gerem benefícios econômicos e sociais pela redução do consumo de recursos naturais e da manutenção ao longo da vida útil.

 

Dentro de todo esse contexto, os empreendimentos da indústria da construção precisam estar alinhados com as melhores práticas que encontramos nas outras indústrias, tais como as ferramentas da Indústria 4.0, em que todos os processos que possam ser automatizados deverão seguir essa diretriz e usufruir dos seus benefícios em relação a produtividade e assertividade. Canteiros em que a metodologia 5S seja realmente praticada, com layout, fluxos e gestão visual. Fluxos de produção controlados, nivelados e padronizados. Tecnologias aplicadas aos processos que eliminem riscos e garantam maior velocidade, qualidade, valor e durabilidade. Soluções que aumentam o desempenho e reduzam o consumo de recursos naturais, tanto na fase de construção quanto na vida útil do empreendimento.

 

Ao incorporar sustentabilidade nos projetos, consideramos ferramentas para o tratamento de água, utilização de painéis solares para pré-aquecimento de água, formas em polipropileno em substituição à madeira, painéis arquitetônicos na fachada, vidros termoacústicos e tantas outras técnicas já incorporadas aos mais de 700 mil metros quadrados de projetos gerenciados pela Joal Teitelbaum nestes 55 anos, que nos orgulham e nos desafiam na trajetória da melhoria contínua.

 

Como nos ensinou nosso pai, “Vamos utilizar as ferramentas que os gigantes que nos antecederam nos legaram e sejamos pragmaticamente otimistas”.

 

Tenham uma otimista e proveitosa leitura!

 

Jader Teitelbaum     Claudio Teitelbaum      Flavio Teitelbaum